segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Ano-novo, nova temporada no blog! O que vem por aí em 2018

Bonequinho do Pikachu em versão que imita
os bolinhos de arroz chamados de mochi,
da forma como são decorados no Ano-Novo no Japão.
Olá, pessoal! Feliz ano-novo a todos! Que este seja um bom ano para todos nós, com muito trabalho, inspiração e esperança no futuro.

Conforme anunciado no Twitter, estou retomando as postagens do blog, após um pequeno período de férias. 

Na medida do possível, espero continuar produzindo matérias variadas sobre cultura pop japonesa. Em maio, este blog completa 10 anos e espero continuar produzindo conteúdo relevante durante um bom tempo. 

Obrigado a todos os leitores, parceiros e apoiadores. E vamos em frente! Mas antes, três assuntos meio rápidos. 
::: I N S T A G R A M :::

Depois de muito enrolar, entrei de vez no Instagram. Não sei se vou me acostumar ou virar frequentador assíduo, mas vai depender de ter ou não feedback por lá. Vamos ver.


::: 110 Anos da Imigração Japonesa :::

Gostaria de lembrar que em 18 de junho deste ano serão completados os 110 anos do início da Imigração Japonesa no Brasil. Não sei ainda se a data terá alguma comemoração ou homenagem especial, mas fica a dica pra quem é apaixonado pela cultura japonesa. 

::: COMEMORAÇÕES DE 2018 :::


Vamos finalizar o primeiro post do ano com uma lista especial para quem pesquisa ou escreve sobre cultura pop japonesa. 

Assim como já foi feito em 2017 neste blog, eis aqui a lista de produções ou personagens vistos oficialmente no Brasil que comemoram importantes aniversários em 2018. 

- Post atualizado em 09/01, graças à participação dos leitores (veja nos comentários). Valeu, pessoal!

Sakura, grande sucesso do estúdio CLAMP é
uma das séries a receber homenagens em 2018.
20 anos: 

- Cowboy Bebop / Clássico do estúdio Sunrise, teve a série de TV (no extinto canal Locomotion), o longa (em cinemas) e o mangá (Ed. JBC) lançados oficialmente no Brasil.

- Sakura Card Captors / São 20 anos da versão em animê do famoso mangá do grupo CLAMP, que foi exibido principalmente na TV Globo e Cartoon Network. No original, é Card Captor Sakura e seu mangá foi lançado no Brasil pela Editora JBC. Uma nova série está sem exibição no Japão.

- Ultraman Gaia / A série original permanece inédita no Brasil, mas ele tem destaque nos longas Ultraman Gaia - A Batalha no Hiperespaço e Super Herói Ultraman - 8 Irmãos, lançados oficialmente no Brasil. 


Gridman, do estúdio Tsubraya Pro, o mesmo de Ultraman.
25 anos:

- Gridman / Série tokusatsu adaptada nos EUA e exibida no Brasil como Super Human Samurai Cyber-Squad. Vai ganhar uma versão em animê ainda neste ano.

- Guerreiras Mágicas de Rayearth / Aniversáio do mangá original do CLAMP, publicado no Brasil pela Editora JBC. O animê foi visto no SBT

- Slam Dunk / 25 anos da versão em animê para TV do mais famoso mangá sobre basquete. Está sendo republicado no Brasil pela Panini - Planet Manga e estreou no Japão em 1990. É uma das obras mais conhecidas de Takehiko Inoue, autor de Vagabond.


O clássico tokusatsu Jiraya - O Incrível Ninja completa
30 anos de lançamento no Japão. Fez sucesso lá e cá. 
30 anos:

- AKIRA / Animê divisor de águas, fez o mundo olhar com mais seriedade para as animações japonesas. Direção de Katsuhiro Otomo, autor do mangá original, que foi lançado no Brasil pela Editora Globo e está sendo republicado em versão fiel ao original pela JBC.

Cybercop - Os Policiais do Futuro / Personagens carismáticos em uma série que alcançou grande sucesso na extinta TV Manchete.

Jiraya - O Incrível Ninja / Da chamada "Geração Manchete", é talvez o mais cultuado herói japonês no Brasil, perdendo apenas para Jaspion e Changeman

- Kamen Rider BLACK RX / A evolução do Kamen Rider BLACK.

- Meu Vizinho Totoro / Clássico do Studio Ghibli e obra-prima do diretor Hayao Miyazaki.
Samurai Troopers/ Samurai Warriors, da Sunrise.
- Samurai Troopers / Lançado nos EUA, Brasil e outros países do ocidente como Samurai Warriors. Pegou carona no sucesso de Cavaleiros do Zodíaco. Vai ganhar um novo reboot em animê em abril próximo. 


Oliver Tsubasa, o protagonista de Super Campeões. 
35 anos: 

- Sharivan / O segundo Metal Hero da Toei Company, passou no Brasil no auge da febre desencadeada por Jaspion e Changeman.

- Super Campeões / 35 anos da versão em animê de um dos mais populares mangás sobre esporte. No original, é Captain Tsubasa. 


Capitão Harlock e Arcadia, no traço do autor Leiji Matsumoto.
40 anos: 

- Capitão Harlock / A série de TV original do pirata espacial não foi exibida no Brasil, mas o personagem teve seu longa Capitão Harlock e a Nave Arcadia lançado por aqui em vídeo nos anos 1980 e depois foi exibido na TV Manchete em capítulos, já nos anos 90. Seu aclamado longa em CGI, produzido em 2013, está no catálogo da Netflix. É uma das obras mais importantes de Leiji Matsumoto, coautor da Patrulha Estelar

- Patrulha Estelar / Série 2 - Saga do Cometa Império. A mais conhecida no Brasil, foi exibida na TV Manchete na década de 80. No original, o nome da espaçonave (e da série) é Uchuu Senkan Yamato - Encouraçado Espacial Yamato. A saga revolucionou a animação japonesa com o fenômeno cultural chamado de Anime Boom

- Spiderman / A série tokusatsu do Homem-Aranha foi revolucionária, nem tanto pelo herói. O robô gigante que o Aranha controla nessa série, o Leopardon, desencadeou uma febre entre as crianças japonesas. 

Doraemon e seus amigos. Um verdadeiro ícone cultural
no Japão, nunca emplacou no Brasil. 
45 anos: 

- Doraemon / Aniversário da versão animê do icônico gato-robô, que infelizmente nunca emplacou no Brasil. No Japão, é praticamente uma instituição nacional.  


Ultraman Taro (1973), o sexto integrante dos Irmãos Ultra clássicos.
- Ultraman Taro / Sua série original não foi exibida por aqui, mas o personagem é um dos mais importantes no Universo Ultra, tendo aparecido em alguns filmes lançados oficialmente em nosso país, como Ultraman Mebius e Ultraman Brothers - Yapool ataca! Mega Batalha na Galáxia Ultra).

- Lion Man (laranja) / Clássico dos tempos áureos da TV Manchete, era uma série bem mais antiga que as demais lançadas durante a febre dos heróis japoneses. 

Joe Yabuki, uma lenda dos ringues.
50 anos:

- Ashita no Joe / Um dos mangás de esporte mais famosos de todos os tempos e o principal a abordar o boxe. Criação de Ikki Kawajiri (roteiro) e Tetsuya Chiba (arte), teve seu primeiro animê em 1970 e sua série de 1980 está disponível no catálogo do Crunchyroll


Antes de ser conhecido mundialmente como Astro Boy,
o personagem surgiu como Tetsuwan Atom nos mangás
em 1952 e estreou sua série de TV em 01/01/1963
55 anos:

- Astro Boy / Primeiro animê com personagens fixos em uma série de TV. No original, é chamado de Tetsuwan Atom, obra imortal do "Deus do Mangá", Osamu Tezuka.

60 anos: 

- O Panda e a Serpente Mágica / Primeiro longa da Toei Animation, inaugurou a era das animações em produção industrial. Saiu em fita VHS no Brasil e o título original é Hakujaden. ~ Saiba mais sobre a história da animação japonesa aqui.


***************

- É isso aí, galera. Obrigado pela atenção e até a próxima postagem! 

18 comentários:

Usys 222 disse...

Mais uma vez, Feliz Ano Novo!

Este também é um ano cheio de comemorações! E é comemorativo de muitos personagens icônicos como Doraemon e Atom, ambos robôs, curiosamente. Ao ver tudo isso também sinto a idade, pois muitos deles embalaram a minha juventude. Pelo que vi, Card Captor Sakura já começou com o pé direito. Gridman está indo pelo mesmo caminho.

E 110 anos da Imigração... Geralmente fazem nos 25 ou nos 50, então não dá para saber se vão fazer algo assim. Pensar que já se passaram 10 anos do centenário também me faz sentir o peso do tempo.

No mais, espero por novas matérias aqui no Sushi POP!

Pensando bem, até tenho uma conta no Instagram, mas nunca usei. Talvez seja bom começar. Já segui a sua conta. E até vi uma cena que gostaria que tivesse na série...

Alexandre Nagado disse...

Fala, Usys! Que seja um bom ano pra todos nós!

Como eu optei por incluir apenas séries ou personagens lançados oficialmente no Brasil, obviamente muita coisa ficou de fora. O clássico mangá "Ashita no Joe" está completando 50 anos, só pra citar um título de grande relevância no Japão. Mas eu preciso ler ou assistir alguma coisa pra escrever algo com propriedade.

Não tenho lá um grande planejamento, mas já estou esboçando algumas matérias. Vamos ver.

Obrigado e até a próxima!
Abraço!!

Aniki disse...

Feliz ano novo atrasado, Nagado.

Dentre essas comemorações de séries algumas provavelmente passarão batido, mas não custa relembrar: 40 anos do Spiderman da Toei e 20 anos de Ultraman Gaia(que já deveria estar no Crunchyroll há tempos).

Que 2018 continue trazendo boas surpresas para todos nós.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Aniki! Um grande ano pra você também, com alegria, saúde e prosperidade!

Sabe, eu fiquei em dúvida se incluía o Spiderman da Toei, mas é sem dúvida uma boa lembrança.

O Gaia, apesar de aparecer também em filmes lançados por aqui, não tem tanto peso quanto o Taro. Mas essas dicas são válidas e podem render pautas, senão aqui, em outros espaços na blogosfera. Valeu!

Grande abraço!!

César Filho disse...

Mestre Nagado, primeiramente, feliz Ano Novo de muitas realizações e conquistas.

Algumas dessas séries aniversariantes retornam em 2018. Sakura já voltou neste fim de semana com a série Clear Card. Apesar de ter assistido esporadicamente a série clássica, pretendo acompanhar semanalmente a nova saga. Super Campeões terá um novo começo (o quarto pra TV) a partir de abril e Gridman tem animação confirmada para o outono japonês.

Falando em Ashita no Joe, apenas a segunda série, de 1980, está disponível no Brasil pela Crunchyroll. Ainda não consegui parar pra assistir e pretendo fazer isso logo. Ah, a Netflix tem o filme CG do Captain Harlock, de 2013. Inclusive o herói foi dublado pelo Hermes "Seiya" Baroli. Notei umas diferenças curiosas entre o diálogo nas legendas e a adaptação da dublagem.

Legal encontrá-lo Instagram. Uso essa rede social há quase cinco anos. No começo achei que não ia durar muito. Pelo contrário, junto com o Twitter é a rede social que mais utilizo e considero bem tranquila. É normal ter poucas curtidas no começo, mas logo elas vem. As hashtags ajudam bastante. Apesar de ter uma ou outra foto minha, não sou muito fotogênico. Uso mais pra postar coisas do meu hobby ou algo interessante que encontro por aí.

Bom regresso ao Sushi POP! Forte abraço!

Alexandre Nagado disse...

Olá, César!

Obrigado pelos registros em seu comentário. Sakura eu vi poucos episódios, falta tempo (e interesse) pra acompanhar. Gridman eu também vi pouco do original e do Super Human Samurai, mas estou curioso pra ver o animê. E bem lembrado, preciso ver o longa em CGI do Harlock!

E redes sociais nos absorvem muito. Devo continuar ativo só no Twitter, mas sempre tentarei postar algo e dar uma olhada no que anda aparecendo no Instagram.

Valeu! Grande abraço!
PS: Graças aos comentários aqui postados, atualizei o post!

Gabriel disse...

Feliz 2018!
Que seja um ano de muito sucesso para todos nós!

Quanta obra importante comemorando aniversário redondo em 2018!
Tomara que isso sirva para fazer o pessoal olhar mais para essas obras antigas. O público brasileiro de animê acompanha muito as temporadas, mas esquece que tem muita coisa antiga que vale muito a pena ser vista.

Atualmente, estou focando em movies e dois que vi nesse ano foram Akira e Totoro. Não fazia ideia que eles estavam completando 30 anos. Super coincidência.


Valeu o/

Adelmo Veloso disse...

Excelente! Feliz Ano Novo, Nagado!

2018 já começou com tudo! Incrível como as séries japonesas influenciaram nossa infância e também participam de alguma forma até hoje! Tô vendo que o tempo não nos espera e algumas séries dessas aí são bem mais antigas que eu!

Ansioso pelas matérias que virão! Desejo um ano de muito sucesso para o Sushi Pop, Reflexo Cultural e Instagram (já dei uma passada por lá).

Alexandre Nagado disse...

Fala, Gabriel, obrigado!

Totoro eu assisti em VHS (sim, sou velho) pouco depois que saiu em vídeo no Japão, através do pessoal do grupo ORCADE, do qual eu fiz parte durante um tempo. Vi duas vezes, mas está na hora de rever e mostrar para minhas filhas, que já se encantaram com Ponyo, outra obra adorável do Miyazaki.

Já o Akira eu vi umas cinco vezes. Uma delas no cinema, outra em telão, na inauguração da Gibiteca Henfil, em São Paulo.

São duas obras icônicas, que foram lançadas no mesmo ano. Muitas comemorações importantes. Não farei matérias sobre tudo isso, claro, mas espero ver coisas bacanas na blogosfera especializada.

Grande abraço!!

Alexandre Nagado disse...

Oi, Adelmo! Muito obrigado!

Você disse bem, algumas produções participam da nossa vida até hoje. Como é o Ultraman, no meu caso.

Espero poder postar coisas legais neste ano e continuarei acompanhando seu blog também.

Abração!

Gabriel disse...

Não sabia que você tinha feito parte do ORCADE, Alexandre. Esse é aquele grupo do Sérgio Peixoto, né?
Falando nele, você viu que teve uma edição especial da revista Animax (número 51)? Chegou a comprar? Se sim, você gostou?
Também vi que saiu uma edição nova da revista Ultra Jovem. Você sabia? Chegou a comprar?

Parece que estão ressuscitando as revistas de animê xD O que você pensa sobre isso?

Abraço o/

Alexandre Nagado disse...

Oi, Gabriel. Fiz parte da ORCADE mais ou menos entre 1989 e 93. Eu soube dessa edição da Animax via crowdfunding, mas não me interessei em conferir. Também não vi a Ultra Jovem.

Acho que ainda há espaço para publicações impressas, mas tem que planejar muito pra não ser investimento perdido. Os tempos são outros. Mas acho válido tentar recuperar esse mercado.

Falou! Abraço!

Bruno Seidel disse...

Estamos em 2018!

Quanta coisa legal celebrando "datas redondas" nesse ano, ein?? Certamente, os 10 anos do blog merecem uma homenagem a altura.

Aliás, esse ano tbm completam 10 anos da sua viagem ao Japão, né?? Como o tempo passa!

Abraços!

Alexandre Nagado disse...

Fala, Bruno!

Já faz quase 10 anos que conheci o Japão, mas as memórias estão cristalizadas, tamanho o impacto em minha vida. Ter sido selecionado para um programa cultural do governo japonês foi uma grande honra.

Já para os 10 anos do blog, ando com algumas ideias, vamos ver se consigo fazer algo.

Valeu, até breve! Abraço!

Gustavo Reis disse...

Feliz ano novo já em meados de Janeiro. 2017 foi um ano muito especial pra mim, espero conseguir realizar mais em 2018. Infelizmente as vezes que Doraemon veio pro Brasil não deu muito certo. Um dos meus animes favoritos. Olhando essas comemorações sinto a idade pesar, boa parte das séries ou vi na época que passaram ou tomei ciencia da existência. Uma época mágica que não importava shoujo, shonen, kodomo, etc. Tudo que vinha eu e outros da minha geração assistia tudo porque era raro conseguir material. Lembro com nostalgia, mas sem saudosismo. Hoje tudo é mais acessível e é bem melhor que a sofrência de outros tempos.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Gustavo-san!

Eu lembro da dificuldade de conseguir assistir alguma coisa diferente. Gravações precárias em fitas VHS, encontros de colecionadores... Tenho nostalgia, mas não troco a praticidade atual por nada.

Doraemon é um personagem muito simpático que nunca vingou aqui. Teve até música da Angélica na época, era o "Super Cat". Uma pena que não deu certo.

E que possamos fazer ainda mais em 2018! Sucesso pra você!
Grande abraço!!

job Marques disse...

Estou lendo os novos posts agora . Boa volta .alguns destes heróis vi na infância e outros já homem feito ( tarô, por exemplo!) Akira é um marco um referência um clássico, uma obra prima de passagem me fez lembrar da velha Record que preenchia suas tardes com vários destes animes .Taro sempre me deu a impressão de faria uma enorme sucesso se tivessem no exibido aqui mesmo um ou três anos depois do seu lançamento. Vou segui lo Instagram .

Alexandre Nagado disse...

Olá Job Marques!

No final dos anos 70, começo dos 80, Record era minha emissora favorita. É sempre bom relembrar os clássicos.

O Taro eu via em livros japoneses quando criança e morria de vontade de assistir. Como eu só fui ver mesmo depois de adulto, fiquei meio desapontado. Mas o personagem é muito legal e um dos pilares do Universo Ultra.

Valeu! Abraço!