7_Visual_Kei CDJapan

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Yuzo Kayama - 80 Anos do Rei do Rock Japonês

De Momoiro Clover Z a The Alfee, o universo da música japonesa prestou homenagens a uma lenda viva de seu país, que completou 80 anos em plena atividade, fazendo rock!


Capa do single "Black Sand Beach",
sucesso instrumental de Yuzo Kayama à
frente da banda The Launchers.
No gigantesco mercado fonográfico japonês - o segundo maior do mundo - manter-se em atividade profissional durante anos é para poucos. Astros de vida efêmera existiram e existem aos milhares, mas os verdadeiros talentos conseguem construir sólidas carreiras. E um dos artistas mais importantes desse universo, em atividade há mais de 50 anos, atende pelo nome Yuzo Kayama (加山雄三)

Dono de um sucesso arrebatador cantando rock e músicas românticas nos anos 1960 e 70, ele é um dos maiores nomes artísticos de seu país. 

Yuzo Kayama nasceu em Yokohama, na região metropolitana de Tokyo, em 11 de abril de 1937 e seu nome verdadeiro é Naoaki Ikehata. Ator competente, cantor de grande voz, guitarrista habilidoso, compositor e pianista, ele é filho do casal de atores Ken Uehara (do clássico Mothra, de 1960) e Yoko Kozakura
Carismático seja como ator ou músico, ele ganhou
o apelido de "Wakadaishô", ou o "Jovem Chefe".
Inspirado na banda de rock instrumental americana The Ventures, em Elvis Presley e vários ícones da época, Kayama empunhou sua guitarra e levou multidões ao delírio nos anos 1960. Começou a tocar profissionalmente em 1960 e seu primeiro single veio no ano seguinte, intitulado "Yoru no Taiyou" ("Sol Noturno"). Em paralelo, sua outra carreira artística conseguia grande impacto. 

Carismático, galã e bastante respeitado também como ator, ele estreou no cinema em 1960. Em 61, ano em que trabalhou em 8 filmes, destacou-se em Daigaku no Wakadaishô ("O Jovem Chefe da Universidade"), um filme de romance, comédia e música no qual ele foi o ator principal. O título gerou uma cinessérie que totalizou 17 filmes e um show, sendo que o longa final foi produzido em 1981. Com uma extensa carreira em TV e cinema, também trabalhou em Aka Hige ("Barba Ruiva"), filme de Akira Kurosawa de 1965, entre várias outras produções. Mas seu negócio era mesmo a música, por mais que fizesse filmes e dramas para TV e cinema com grande regularidade. 
Cartaz de "Let´s Go! Wakadaisho" (1967):
Cinessérie de sucesso, com 17 filmes.
Em 1962, quando já era um astro reconhecido, integrou o grupo The Launchers, que se manteve em atividade até o início dos anos 1970. Essa banda, que o acompanhou em diversas ocasiões como Yuzo Kayama and The Launchers, teve um integrante que ficou muito famoso fora da música. É o ex-baterista Masanari Nihei, que interpretou o oficial Ide (ou Ito, na dublagem brasileira original), na série clássica do Ultraman, de 1966. 

Yuzo Kayama também fez parte do grupo The Wild Ones, mas seu foco maior sempre foi sua carreira individual. Sendo músico e ator de renome, estrelou diversas campanhas publicitárias e era figura regular em programas de TV. 


Trailer de "Let´s Go! Wakadaishô".

O Japão, assim como a maior parte do mundo capitalista, se rendeu à Beatlemania nos anos 60, mas nada ameaçava o reinado de Kayama, aclamado por milhões em seu país. Apesar do apelido "Elvis Japonês" ter ido para Isao Sasaki (cantor do Yamato - Patrulha Estelar) por conta de covers que ele gravou em início de carreira, não há termo melhor para definir Yuzo Kayama. Como Elvis fez nos anos 1950, Yuzo Kayama reinou na década de 1960, tanto como ator, quanto como cantor, compositor e guitarrista. 

E, diferente da triste e breve história de Elvis, Kayama atravessou o auge do sucesso, a histeria de fãs, a diminuição de público e todas as fases pelas quais passa um astro de carreira longeva, sempre passando uma imagem de maturidade e bom humor. 

Como compositor e arranjador, Yuzo Kayama tem um pseudônimo desde o início de carreira: Dan Kousaku, nome com o qual assinou muitos de seus sucessos, como "Kimi to Itsumademo", "Yozora no Hoshi", "Black Sand Beach", "Aoi Hoshikuzu" e "Tabibito yo", entre muitos outros. 
Já octogenário, ainda é conhecido como Wakadaishô,
apelido que aceita com muito bom humor. 
É casado desde 1970 com a atriz Megumi Matsumoto e tem quatro filhos. Dando prosseguimento a uma linhagem de artistas, três de seus filhos são atores: Emi Ikehata, Mayuko Azusa e Tetsuo Yamashita, enquanto outro, Nobuhiro Ikehata, é músico. Nenhum deles pegou o sobrenome artístico do pai, para poderem buscar seu lugar ao Sol sem o peso da lenda sobre eles. 

Em 2010, celebrou 50 anos de carreira artística em grande estilo. Foi lançado o single "The Lonely Hearts Oyaji Band", assinado por Yuzo Kayama and The Yanchars, único lançamento de uma banda comemorativa formada por Shinji Tanimura, Ryoko Moriyama, Masashi Sada, Kousetsu Minami, junto com o trio THE ALFEE, formado por Masaru Sakurai, Konosuke Sakazaki Toshihiko Takamizawa

Todos são verdadeiras lendas da canção popular japonesa, mestres da música pop, do rock e do folk. E estavam lá, se divertindo ao lado do homem que inspirou todos eles, o eterno "Wakadaishô", apesar de hoje em dia o apelido soar de maneira um tanto cômica. E além da auto-paródia contida no nome da música, há uma homenagem óbvia ao mais famoso álbum dos Beatles, o Sgt. Pepper´s Lonely Hearts Club Band (1967). 

A canção da Oyaji Band foi escrita pelo próprio Kayama (melodia) em parceria com Masashi Sada (letra) e foi apresentada também no grandioso show comemorativo dos 50 anos de carreira, repleto de astros. 
Para comemorar os 50 anos de carreira, uma
grande e divertida reunião de velhos amigos
e admiradores do grande mestres do pop japonês.
Em 2014, ele foi condecorado com a Ordem do Sol Nascente, uma honraria concedida pelo Imperador do Japão a personalidades de grande destaque e importância para o país. 

Ao completar 80 anos em abril de 2017, foi homenageado muitas vezes em vários programas, tributos e reportagens, sendo reverenciado como um verdadeiro tesouro cultural japonês. Um dia depois de seu aniversário, saiu no Japão o álbum Respect Kayama Yuzo, onde seus clássicos ganharam novas versões com Mariko Takahashi, Yosui Inoue, The Ventures, TUBE, Ryoko Moriyama e outros grandes nomes. 

E como todo bom roqueiro de alma eternamente jovem, Yuzo Kayama não pensa em se aposentar. Em 17 e 18 de junho, acontece o Go Go Wakadaishô Festival, que reúne várias vertentes da música japonesa para homenagear Kayama. Aki Yashiro, rainha da tradicional música enka e as incansáveis idols do Momoiro Clover Z também estão nesse festival, que é uma homenagem a Yuzo Kayama e sua obra. 

E mesmo antes de todo esse revival, diversos artistas em diferentes épocas já prestaram homenagens e cantaram os sucessos de Yuzo Kayama. Sempre é importante apresentar às novas gerações o trabalho de um ídolo que é, indiscutivelmente, um dos mais importantes artistas da História do Japão.


Respect Kayama Yuzo (2017):
Coletânea de covers reuniu
nomes de diversos estilos da
música japonesa.
Todos se curvam ao Wakadaishô.

::: www.kayamayuzo.com :::


- Agradecimentos ao blogueiro Usys222, do blog parceiro Casa do Boneco Mecânico.


::: Grandes Momentos de Yuzo Kayama :::


君といつまでも
Kimi to itsumademo ("Sempre Com Você") 
Letra: Tokiko Iwatani / Melodia: Kousaku Dan (Yuzo Kayama)
- Um dos maiores sucessos de Yuzo Kayama, foi lançado em 1965 e chegou ao primeiro lugar no ranking mensal das músicas mais populares do Japão, com mais de 2 milhões de cópias vendidas. 


____________________________________


Black Sand Beach/ Hashirê Donkey ("Praia de areia negra"/ "Burro correndo")
Composição: Kousaku Dan
- Trecho do filme "Elec no Wakadaishô" (1965), com Yuzo Kayama and The Launchers tocando surf rock instrumental. Se você gosta de Ultraman, repare quem está arrasando na bateria. É Masanari Nihei, o Ito/Ide, da Patrulha Científica/ S.I.A.. Na época dos Launchers, ele assinava como Masaya Nihei.


____________________________________

海 その愛 
Umi, sono ai ("O Mar, Aquele Amor")
Letra: Tokiko Iwatani / Melodia: Kousaku Dan
- A música tem inspiração em "My Way", canção francesa eternizada por sua versão em inglês cantada por Frank Sinatra (especialmente nos acordes finais do refrão), e é tão emocionante quanto. Foi incluída no álbum de mesmo nome, lançado em 1976. Um amor tão grande quanto o mar... Ouvir isso cantado pelo vozeirão carregado de nostalgia e sinceridade de Kayama é arrepiante. E a propósito, Kayama também já cantou My Way. Confira aqui



____________________________________

"Black Sand Beach" ~ "Wipe Out"
Composição (respectivamente): Kousaku Dan ~ The Surfaris
- Um dos encontros de Yuzo Kayama com uma banda que o inspirou: The Ventures. Ícones do surf rock, os Ventures estão em atividade desde 1958 e já passaram por várias formações. Fizeram muito sucesso no Japão e são referência até hoje.


____________________________________


Medley ~ Aoi Hoshikuzu ("Poeira da estrela azul" (1)/ Yozora no Hoshi ("Estrela do Céu Noturno" (2)/ Yozora o Aoide ("Olhando para o céu noturno" (3)
(1 e 2) Letra: Tokiko Iwatani/ Melodia: Kousaku Dan
(3) Letra e melodia: Kousaku Dan
- Dueto de Yuzo Kayama com a jovem cantora, compositora e guitarrista miwa. O velho mestre é sempre uma inspiração para os mais jovens. 



____________________________________

座・ロンリーハーツ親父バンド
Za (The) Lonely Hearts Oyaji Band ("Banda dos tiozinhos dos corações solitários")
Letra: Masashi Sada/ Melodia: Kousaku Dan
- Uma celebração alegre, reunindo lendas da música japonesa para prestar homenagem ao maior de todos. Yuzo Kayama and The Yanchars é o nome da brincadeira divertida que reuniu Shinji Tanimura, Ryoko Moriyama, Masashi Sada, Kousetsu Minami e THE ALFEE. Chegar na velhice fazendo o que se gosta e celebrando com amigos deve ser algo sensacional, para poucos mesmo. 


____________________________________

Medley ~ Yozora no hoshi/ Aoi Hoshikuzu/  Black Sand Beach/ Boomerang Baby (*)
(*) Letra e melodia: Kousaku Dan
- Apresentação de Yuzo Kayama, prestes a completar 80 anos, com duas gerações ao seu lado. À sua direita, o grupo THE ALFEE, que começou nos anos 1970. Do outro lado, as idols do Momoiro Clover Z.


加山雄三・THE ALFEE・ももいろクローバーZ「加山雄三SPメドレー」LIVE... por okaim555
 


::: OUTRAS VERSÕES :::
君といつまでも
Kimi to itsumademo ("Sempre com você") - Maki Goto
- Uma das músicas icônicas da carreira de Yuzo Kayama, na voz da estrela do primeiro escalão Maki Goto, ex-integrante do grupo Morning Musume


____________________________________

夜空の星
Yozora no hoshi ("Estrela do céu azul") - The Alfee
- Lado B do single de "Kimi to itsumademo", essa canção de 1965 teve uma explosiva versão gravada pelo THE ALFEE, que já se encontrou várias vezes com o Wakadaishô. Aqui, um registro desse clássico ao vivo, em 2002. 



PS: Quer mais? Confira a última música do show de 50 anos de carreira de Yuzo Kayama. E pode chorar, que é emocionante! Link aqui. 

4 comentários:

Usys 222 disse...

Yuzo Kayama! O Wakadaishô! Um dos ídolos da minha juventude! E como é que é? Shinji Tanimura, Masashi Sada, Kousetsu Minami, Ryoko Moriyama e ainda por cima THE ALFEE?! Que Dream Team é esse?! Todos os meus ídolos reunidos! Vi o clipe e fiquei muito empolgado!

Foi o Wakadaishô quem popularizou a guitarra elétrica no Japão. Sendo assim, o encontro dele com o Takamiy, outra fera da guitarra foi uma tremenda passagem de legado.

Uma coisa que gosto no Wakadaishô é que ele é bem humorado e faz piada consigo mesmo. Em um programa ele disse que agora estava mais para "Jijidaishô" ("Véio" Chefe) e que continuava tocando guitarra porque queria impedir a senilidade. E mais do que isso, no vídeo comemorativo, ao agradecer os fãs no meio do Kimi to Itsumademo, ele ficou de cabeça baixa o tempo todo, mostrando o respeito pelo público. Isso é homem grande!

Obrigado por trazer a tona um dos maiores astros do mundo artístico japonês! E quem diria que o Masanari Nihei já foi baterista? E ainda por cima na banda do Wakadaishô? A vovô dançando foi ótima! É bem interesante ver o pessoal de kimono enquanto ouve a banda tocando com as guitarras elétricas.

Ah, e tem mais uma curiosidade. Yuzo Kayama participou de um filme de Jackie Chan, Thunderbolt - Ação Sobre Rodas. Passou aqui no Brasil dublado e até achei engraçado ver o Wakadaishô falando em português.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Mr. Usys!

O Yuzo Kayama eu conheci porque meu pai adora cantar a "Kimi to itsumademo" no karaokê. A "Yozora no hoshi" eu descobri através da versão do Alfee. São grandes canções e no começo eu achava que ele não era compositor porque os nomes nos créditos eram outros. Ledo engano. Será que foi por modéstia que ele criou um pseudônimo para compor? Se bem que muita gente faz isso.

Essa do Masanari Nihei eu descobri vendo o vídeo da "Black Sand Beach" extraído do filme do Wakadaishô. Quando passou a imagem dele eu levei um susto. Daí fui ver no tópico dos Launchers e do próprio Nihei na Wikipedia japonesa. Pra mim, foi difícil rastrear, mas quando ficou claro, achei uma coisa muito legal de saber. E o papel dele em Ultraman o marcou tanto que ninguém mais o conhece como o "ex-baterista do Wakadaishô". Isso que é carreira multimídia, muito antes do termo existir!

E legal que você gostou. Essa matéria foi uma daquelas em que eu senti um peso de responsabilidade de fazer algo bom, que fosse conciso, informativo e fosse capaz de abordar o assunto para apresentar o Wakadaishô às novas gerações.

E esse filme do Jackie Chan eu ainda não vi. Eu ia focar só na carreira musical, mas ele também é um ator de primeira grandeza. Realmente, uma lenda viva de seu país.

Valeu! Abração!!

Bruno Seidel disse...

Nossa!! Emocionante essa homenagem mesmo! Fiquei com um nó na garganta!

E que carreira linda a do Wakadaishô! Se o "auge" da fama já passou, é inegável que ele tenha uma legião de fãs que vai admirar seu talento e sua obra eternamente.

O que você disse no post faz todo o sentido: o "pós-auge" faz parte da vida de um artista de sucesso. É uma etapa do ciclo que só é vivida por quem segue de pé na batalha.

Que exemplos como esse possam ser seguidos por essa geração industrial de idols que pensa mais no sucesso e na fama do que em demonstrar talento.

Alexandre Nagado disse...

Fala, Bruno!

Mesmo conhecendo pouco da carreira de Yuzo Kayama e tendo acompanhado pouca coisa, não tem como não se emocionar com as homenagens a ele. E o legal é ele estar sendo reverenciado em vida, curtindo mesmo a recompensa por uma carreira impecável.

Hoje não sei se há espaço para que talentos assim se desenvolvam. As gravadoras pressionam a vida dos artistas até que eles ou viram funcionários exemplares ou desistem. Yuzo Kayama se desenvolveu como artista junto com o amadurecimento (para o bem e para o mal) da indústria de celebridades no Japão. Não é à toa e não foi só por causa dos filmes que ele ganhou o apelido de "jovem chefe". A personalidade foi determinante para uma carreira tão longeva.

Grande abraço!!