quinta-feira, 20 de abril de 2017

Miss Monochrome: Uma andróide na trilha para o sucesso!

Idol: Jovem artista multimídia que canta, dança, atua, trabalha como modelo e vive para seus fãs. Vende uma imagem de pureza intocada e é treinada para encantar e seduzir seu público. Trata-se de um fenômeno cultural tipicamente japonês.
Miss Monochrome: Uma andróide que
sonha em ser uma artista de sucesso.
Tornar-se a maior idol de todos os tempos! - Esse é o objetivo de Miss Monochrome, ou Srta. Monocromática, uma garota muito peculiar.

Ela é uma andróide e a última remanescente de uma antiga civilização terrestre exterminada por invasores espaciais. Em meio à destruição consumada, tentou salvar uma amiga, que acaba morrendo em seus braços. Antes, a menina promete que vai reencarnar um dia e pede que Srta. Monocromática a aguarde. Diz que deseja competir no futuro com ela pelo posto de maior idol de todos os tempos.

As eras passam, a vida volta a florescer na Terra e a Srta. Mono se desvanece. Ela é um organismo artificial, mas não é exatamente mecânica, e sim energia solidificada (mas não leve essas definições muito a sério). 


Trailer da primeira temporada:


Ela ressurge nos tempos atuais, com vagas lembranças do trágico passado. Como objetivo maior de sua existência, apenas sente que precisa se tornar uma idol e competir com sua antiga amiga para atingir o topo do sucesso. E não poupará esforços e nem energia para tal.

A andróide possui uma caixa de recarga em seu quarto, que deve ser abastecida a cada manhã com uma nova pilha pequena, do tipo AA. (Aliás, no mundo da série, parece que uma pilha dessas tem a potência de um reator nuclear.)
Monocromática e seus amigos:
Ru-chan (o disco dourado), Maneo (de terno),
Kikuko (de roupa rosa) e Mana.
Antes de iniciar sua escalada rumo ao estrelato, a Mono sabe que precisa de um "manager", um agente  (que também pode ser traduzido por "gerente") para lhe conseguir trabalho. E encontra seu manager ao topar com o simpático Maneo. Ele na verdade é o manager de uma loja de conveniência, não de artistas. Cheio de boas intenções, ele coloca a Monocromática para trabalhar em sua loja e resolve ajudá-la, mesmo sem entender nada de idols ou de música. 

O que lhe falta em conhecimento e esperteza, lhe sobra em boa vontade. Falando em esperteza, isso é o que não falta a Mana, uma garota pequena, meiga e extremamente picareta que cruza o caminho da Monocromática. Acontece dela ser empresária de Kikuko, a maior idol da atualidade, a quem Mono reconhece como sendo a reencarnação de sua amiga do passado.

Versão 3D usada para as
cenas de encerramento
dos episódios.
Melhor sorte com pessoas a Srta. M tem ao conhecer Yayoi, uma promotora comercial de uma pequena gravadora. Gentil, esforçada e um pouco - na verdade MUITO - desajeitada, ela vira um demônio quando senta ao volante de seu carro esporte. Assim é "Yayoitan" - seu apelido carinhoso - uma das mais divertidas personagens da série. 

Além de seus amigos humanos, a ambiciosa andróide tem sempre a seu lado o robozinho discóide de serviços gerais Ru-chan, com uma inesgotável versatilidade e disposição para ajudar.

Capaz de proezas incríveis, mas inexpressiva como um manequim (aliás, sua interpretação de maior sucesso), Monocromática tem um longo caminho pela frente. A todo momento, ela tem ideias sobre como se destacar, ficar famosa e ser idolatrada, com resultados normalmente desastrosos. Mas aos poucos - ou aos trancos - as coisas vão acontecendo e nada parece que vai tirar Mono de seu destino. E vale lembrar que, em certo momento, a raça de aliens sanguinários que exterminou a humanidade tempos atrás retorna para uma nova caçada. O que eles não imaginavam é que as coisas não sairiam da mesma forma...

Ao longo do tempo, com muita perseverança e muitos percalços, a andróide vai perseguindo seu sonho, sempre acreditando que a promessa do passado vai se concretizar. Sua busca afeta as pessoas ao seu redor e uma verdadeira família se forma no percurso rumo ao sucesso. 


A dubladora e cantora Yui Horie ao lado de sua criação.
Bastidores e produção

Miss Monochrome é uma criação da  renomada cantora e dubladora Yui Horie. Ela surgiu primeiro como uma vocaloid, uma cantora virtual. Um vocaloid é um programa sintetizador de voz com uma figura holográfica ou 3D como representação visual, sendo Miku Hatsune a mais antiga e famosa de todas. A personagem apareceu como projeção em um show de Yui Horie em 2012. Ela foi programada a partir da voz real de Yui e, como foi muito bem recebida pelos fãs, acabou ganhando sua própria série animada, Miss Monochrome - The Animation

A primeira temporada teve 13 episódios de 4 minutos de duração, isso em 2013. Em 2014, duas histórias soltas foram lançadas em DVD e na web. Em uma delas, a Mono mostra seu apoio à Seleção Japonesa de Futebol, que ia jogar a Copa 2014, realizada no Brasil.

Uma nova temporada (Miss Monochrome 2), com 13 episódios de 7min50s, veio na metade de 2015.  Finalmente, uma terceira fase no mesmo formato da anterior veio no final do mesmo ano.
Imagem promocional da terceira e última temporada (até o momento).
Trata-se de uma série leve, divertida e despretensiosa (ok, é bobinha mesmo), mas somente iniciados no segmento idol poderão entender certas passagens. O tom é satírico, mas em alguns momentos há toques de crítica ao modelo calculista em que são planejadas as idols. Tambem é mostrado que tudo é feito para potencializar os lucros em cima da simpatia, doçura e sonhos que as idols vendem. Recheando tudo isso, divertidas referências à cultura japonesa e à cultura pop ocidental, com diversas citações.


Capa de Miss Monochrome
- Motto Challenge.
As situações absurdas e surreais e os personagens carismáticos girando em torno da gélida candidata a celebridade acabaram funcionando bem. Tão bem que podem conquistar até quem não liga muito para idols e vocaloids, como este que vos escreve.

Em 2014, começou a versão em mangá, na revista para jovens adultos Good! Afternoon, da editora Kodansha. O trabalho é assinado por Kazuyuki Fudeyasu (roteiro) e Nana Toono (arte). O roteirista é o mesmo do animê, o que garante unidade e coerência nessa adaptação, que até virou rádio novela e CD com a dramatização das histórias. 

Mono também já apareceu em games e em pouco tempo já estampou sua imagem em diversos produtos. Na ficção, como na vida real, o sucesso chegou para essa obstinada andróide. 



Ficha técnica - Senhorita Monocromática


Título original: Miss Monochrome The Animation
Estreia: 01/08/2013 (TV Tokyo)
Total: 39 episódios (3 temporadas) e 2 especiais

Criação: Yui Horie
Roteiro e planejamento: Kazuyuki Fudeyasu
Character design: Yuuki Morimoto e Naoto Nakamura (colaboração)
Trilha sonora: Shigenobu Ookawa
Direção: Yoshiaki Iwasaki

Produtores: Haruki Hayashi, Hiroaki Matsuura, Hirokazu Shiba e Tetsurô Satomi
Realização: Raiden (Liden) Films e Sanzigen


- Série disponível oficialmente e legendada em português no portal Crunchyroll.

Elenco 

Srta. Monocromática: Yui Horie
Maneo: Keiji Fujiwara
Kikuko: Kikuko Inoue
Mana: Akemi Kanda
Ru-chan: Hiroshi Kamiya
Yayoitan: Kanako Asumi
Akiko: Ayaka Suwa

Yui Horie, uma estrela tanto
na dublagem quanto na música.
Yui Horie - Estrela da voz

Nascida em 20/09/1976, Yui Horie é uma das mais queridas dubladoras (ou "seiyuu") do Japão. Também conhecida pelo apelido carinhoso Hocchan, ela atuou em numerosos animês, como Pokémon, Love Hina, Fruits Basket, Dead or Alive, Negima, Fairy Tail, AKB0048, Magi e muitos outros. 


Ela estreou como dubladora em 1997 e como cantora em 2000, tendo participado de dois grupos, o Aice5 e o Kurobara Hozonkai. Atualmente segue como cantora solo. 

Yui Horie apresenta seu próprio programa de rádio e segue com agenda cheia, seja na dublagem ou na música.




::: E X T R A S :::


1) "Poker Face" - Miss Monochrome (Yui Horie) - versão curta



2) "White Xmas"





3) "Black or White"
- Miss Monochrome e a idol Black Swan dançando em um programa de TV.



4) "Golden Time" - Yui Horie 
- Sucesso de 2013, foi abertura de um animê de mesmo nome.

2 comentários:

Usys 222 disse...

Ohachrome!

Ao ver que os capítulos eram curtos resolvi ver pro completo. Não imaginava que ia levar o dia inteiro, devido a alguns problemas de conexão...

Foi uma série bem divertida, sim. Uma história de sucesso, com leves pitadas de veneno, sendo que a Ms. Monochrome até pode ser bondosa, mas pensa no dela também. E achei engraçado ver que tem três personagens que falam no dialeto de Kyushu (no caso da Yayoi é só quando ela pega no volante).

Conheço o trabalho da Hocchan de longa data e ela não decepciona. Ela até imita o jeito de falar dos Vocaloids ao interpretar a Monochrome, mas consegue fazer a voz normal ao ser a sua personagem-xará. Keiji Fujiwara também faz um ótimo trabalho como o Maneo.

Fiquei surpreso ao ver que a Kikuko é interpretada pela Kikuko Inoue. Não vou esconder, sou seguidor dela de longa data desde que ela interpretou a Kasumi Tendo em Ranma 1/2. E é interessante que a personagem dela em Miss Monochrome segue o "Culto do Dezessetismo" que a dubladora mesma criou de brincadeira. Curiosamente, Yui Horie também é uma seguidora desse "culto".

Pelo que vi a Sanzigen é parte do Ultra Super Pictures, que é financiada pela Good Smile Company. Isso explica por que aparece a Nendoroid dela sem problemas. E também tem a participação do Wooser, cujo desenho passava no mesmo bloco, a Ultra Super Anime Time. Ah, sim. Recomendo ver o primeiro capítulo da segunda temporada do Wooser. Tem um convidado especial bem inesperado, que também é um bom meio de se poupar custos com dubladores. Tem até a música tema...

Então vamos! Sempre em frente! Ou com destaque, como queira. Agora tenho que conseguir a Nendoroid...

Alexandre Nagado disse...

Fala Usys!

A Kikuko Inoue foi uma das primeiras dubladoras a chamar minha atenção. É que eu comprei uma revista Newtype com fotos dela na época em que estava assistindo Oh MY Goddess, onde ela faz a Belldandy e ainda canta a música tema. Marcou bastante pra mim. E realmente, todo ano ela faz 17 anos e .... mil dias, ah ah. Mas ela ainda é uma quarentona muito graciosa, assim como a Yui Horie.

O desenho é cheio de referências e essa do "culto dos 17 anos" até poderia entrar no post. Mas acho que pra atiçar a curiosidade, está de bom tamanho.

Ah, sim, a voz da Monocromática eu reparei que ficou mais "robótica" na segunda temporada e funcionou bem assim. Claro que tem efeitos de estúdio pra deixar a voz daquele jeito, mas de nada adiantaria fazer trucagens se a voz limpa já não estivesse com aquela interpretação.

E o Maneo e a Yayoitan são a alma da série. Gostei demais desses personagens.

Valeu pela participação, informativa como sempre.

Abraço!