RECADO AOS VISITANTES:

Olá! O blog está de férias, mas já estou trabalhando em novas postagens. O Sushi POP voltará a ser atualizado no dia 1 de agosto (terça), no período da tarde.

O que vem por aí:
- Ultraman Geed, Novo Lobo Solitário, resultado da convocação para trabalhos acadêmicos e mais!

Esteja aqui para conferir. Até breve!

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

DIA DO QUADRINHO NACIONAL

Hoje é o Dia do Quadrinho Nacional. Uma data festejada entre as pessoas da área e pouco conhecida fora dela. Um mercado complicado, onde publicar e ter prestígio entre seus pares raramente é sinônimo de compensação financeira. Um mercado que obriga as pessoas que querem viver de desenho a procurar no mercado editorial, publicitário ou de eventos, os meios para sobreviver. Não há espaço pra todo mundo e a concorrência do material estrangeiro é desigual e desumana.

Em uma das palestras que dei no recente Animepan V, apontei alguns problemas crônicos do mercado de quadrinhos no Brasil. E mostrei a necessidade de se desenhar um pouco de tudo e se diversificar para se profissionalizar, tirando seu sustento de outras áreas que se utilizam de desenhos e ilustrações.

Mas eu não dou palestras pra desanimar ninguém. Em certo momento, eu disse algo como: "Nunca deixem que ninguém lhes diga pra deixar de sonhar ou abandonar seus ideais. Sonhem com os pés no chão e persigam seus objetivos!"

O mercado é difícil.
Ninguém disse que seria fácil.
O importante é continuar na luta.
Por isso...

Feliz Dia do Quadrinho Nacional!

- Confira aqui a homenagem do cartunista Bira Dantas.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

CLIPE MUSICAL: STREET FIGHTER (CHAGE & ASKA)

Enquanto o público espera a estréia de Street Fighter - A Lenda de Chun Li, vamos relembrar a primeira versão live-action do famoso game. Em 1994, Jean-Claude Van Damme estrelou uma verdadeira bomba cinematográfica. Ruim de doer e com poucos momentos interessantes, o filme desagradou a maioria dos fãs. Do elenco original, legal mesmo estava Ming-Na Wen (de E.R. - Plantão Médico) como Chun Li. Acho a Kristin Kreuk (de Smallville) mais interessante, mas não dá pra saber ainda se ela vai dar conta do recado.

Ainda sobre o filme, a única coisa que realmente prestava era a canção-tema Something there, interpretada pela dupla de J-pop Chage & Aska em uma de suas tentativas de emplacar no mercado ocidental. No clipe, aparecem atores do filme misturados à platéia. A música é muito melhor que o filme. Confira:



Mais sobre Street Fighter:

- Pioneiro e ícone máximo dos games japoneses com traço inspirado em mangá, Street Fighter já foi febre mundial e até ganhou versão brasileira em quadrinhos autorizada pela Capcom. Fui roteirista dessa revista durante 15 edições, na metade da década de 1990. Uma hora, eu conto um pouco sobre essa empreitada, que alcançou vendas de mais de 25 mil exemplares por edição, um feito impensável nos dias de hoje.

- Veja o trailer do novo filme de Street Fighter clicando aqui.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

BREVE RELATO SOBRE O ANIMEPAN V

O Animepan V, que foi realizado nos dias 24 e 25 deste mês em Pernambuco, terminou com um saldo bastante positivo. Milhares de jovens foram ao Centro de Convenções, localizado bem na divisa entre Recife e Olinda. Fui apresentado como o convidado especial do evento e, francamente, não sabia o que esperar. Apesar do longo tempo de carreira, o material que produzi que mais interessa ao público desse tipo de evento foi feito nos anos 90 (quadrinhos de Street Fighter e dos heróis do tokusatsu, matérias pra revista Herói, etc...). O Mangá Tropical e o Almanaque da Cultura Pop Japonesa, mais recentes, são conhecidos só pelo pessoal da área e os fãs mais hardcore.

Pra garotada adolescente atual, que gosta de Naruto e Bleach, sou um total desconhecido. Por isso eu não sabia como seria a acolhida. E fiquei surpreso. As palestras aconteceram em uma sala de aula com cerca de 20 cadeiras. Pra um formato de palestras e oficinas, funciona bem assim e posso dispensar o uso de microfone. "Se vierem uns 10 ou 15, está de bom tamanho" - pensei. As palestras do primeiro dia lotaram bem acima da expectativa, com gente sentada no chão e outros em pé. Havia interessados na faixa dos 20 anos, mas também alguns garotos que nem eram nascidos quando meus primeiros trabalhos de quadrinhos ou artigos foram publicados. A palestra "O desenho como profissão" conseguiu cerca de 50 ouvintes. Ao final de cada uma, havia pedidos de fotos e autógrafos. Realmente, superou minhas expectativas e fiquei muito feliz ao ver tanta gente interessada em informação - a maioria vai só pra ver os cosplayers - e também descobrir leitores antigos. Um até foi levar a revista Herói número um, datada de dezembro de 1994.

Foi uma experiência muito gratificante e uma honra ter feito parte do evento. Fui convidado pelo organizador Stenio Barros, que viajou comigo ao Japão no ano passado no projeto de intercâmbio dos Jovens Líderes. A ele, ao pessoal da organização - Daniel, Erika, Karla, Raíssa -, ao pessoal do Consulado Geral do Japão de Recife (que tornou possível minha viagem), e ao público que foi prestigiar minhas atividades, meu enorme e fraterno agradecimento.

Mais pra frente, publicarei um relato dia a dia de minha viagem a Pernambuco, com fotos e comentários sobre os bastidores. Agora, de volta ao trabalho!

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

LANÇAMENTO DE SUCESSO

Foi um sucesso o coquetel de lançamento do livro "Faça seu coração falar", realizado ontem (dia 15), na Saraiva Megastore do Shopping Ibirapuera. As pessoas começaram a chegar meia hora antes e, por volta de 20h00, o local ficou intransitável de tanta gente. Não é exagero dizer que mais de uma centena de pessoas foi prestigiar o evento, formando fila pra comprar o livro e levar para o Cláudio Ayabe autografar. Vi muita gente bacana e reencontrei alguns amigos.

Fico bastante orgulhoso por ter participado um pouco do trabalho, com minhas ilustrações tendo o autor como personagem.

Haverá um outro coquetel no dia 28 deste mês, na Saraiva do Shopping Iguatemi de Campinas (SP). Depois eu posto aqui o convite.

No mesmo dia, na parte da manhã, ele será entrevistado pelo escritor Marcelo Duarte para o programa TV Curioso, do IG.

Faça seu coração falar (Ed. Bushido) custa R$ 29,90 e já está à venda nas lojas Saraiva e Siciliano. Também pode ser adquirido diretamente no site do autor:
www.ayabe.com.br

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

QUADRINHOS DIDÁTICOS

Um trabalho que tenho desenvolvido desde o ano passado é produzir folhetos de orientação para um call center de uma grande empresa da área de cartões de crédito.

O material usa a linguagem dos quadrinhos e apresenta conceitos que vão desde o atendimento ao cliente até a conservação de equipamento e segurança de informações. Logo no primeiro da série, a resposta dos funcionários foi boa e resolveram encomendar outros.

O trabalho é dividido em várias etapas. Primeiro, os responsáveis da empresa me passam um tema e me abastecem com informações sobre o assunto. Depois, eu elaboro um lay-out com esboços rápidos e os diálogos já completos para que analisem a mensagem e a narrativa nas duas páginas (frente e verso) do folheto. Nessa etapa, há sempre várias correções e ajustes. Depois de tudo aprovado, produzo a arte-final colorida em alta resolução e salvo em formato PDF para impressão. Normalmente, uma semana é o tempo ideal para esse tipo de produção, mas no começo o processo foi bem mais demorado para que eu entendesse o que o cliente quer e precisa.

Há um grande cuidado por parte do cliente com a forma como os funcionários são retratados e como estão vestidos e isso tem um significado: existe identificação. Os leitores estão entrando na história, se identificando e comentando sobre o que está lá escrito. Por sua combinação de texto e imagem, a linguagem dos quadrinhos é imbatível quando o objetivo é transmitir idéias na forma impressa.

SOBRE O TRAÇO

Por uma questão de sobrevivência no mercado de trabalho, desde o começo da carreira (e lá se vão 20 anos) venho desenvolvendo desenhos de bonequinhos estilizados, mais próximos do cartum, que possuem maior utilidade em material didático. Meus primeiros desenhos publicados profissionalmente, aliás, eram cartuns.

No começo, a influência maior era F. Ibañez, de Mortadelo e Salaminho. Aos poucos, a influência dos traços de Hergé (Tintin) e Laerte foi prevalecendo. Acabei desenvolvendo um traço pessoal com boa aplicação comercial. Mas esses desenhos nunca foram algo que eu visse como algo autoral, um pensamento que tem mudado na medida em que o desenho vem amadurecendo e ganhando personalidade. Hoje em dia, não descarto criar projetos com esse traço mais simplificado, além do meu desenho mais preferencial, influenciado por mangá realista.

Falando nisso, tem um roteiro de um amigo esperando pra ser desenhado há meses. Preciso coordenar melhor meus horários, que os projetos já estão se acumulando.

sábado, 10 de janeiro de 2009

LANÇAMENTO: "FAÇA SEU CORAÇÃO FALAR"

Acontece nesta semana o lançamento oficial do livro Faça seu coração falar (Ed. Bushido), tratado sobre expressão verbal e oratória do escritor Claudio Ayabe.

Vai ser na Saraiva Megastore do Shopping Ibirapuera, dia 15, às 19h30. Esperamos você lá!

Para saber mais sobre o livro, clique aqui para baixar o press release em formato PDF.


sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

A ARTE DE SABER COBRAR

Outro dia, uma pessoa me procurou para orçar um trabalho. Era uma ilustração para uma capa de CD. Antes de passar o valor, perguntei se o CD era independente ou se a banda já tinha gravadora. O contato falou que era independente (ou seja, ia pagar do próprio bolso), mas que não via que diferença isso poderia fazer.

Bom, faz uma enorme diferença. Imagine a seguinte situação: um homem o procura e pede pra você desenhar um gênio com um prato de quibe na mão. Se a arte for pra um folheto da lanchonete da esquina, que tem dois funcionários e uma estrutura modesta, não dá pra cobrar bem. É questão de ver disponibilidade, amizade e outras coisas pra ver se compensa o trabalho. Se o desenho do gênio é para um anúncio publicitário pra rede de fast food Habib´s, com uma verba milionária, a coisa muda de figura. Aliás, alguém consegue imaginar quanto vale o desenho do mascote do Habib´s? E criar um novo design para o Ronald McDonald, alguém tem um palpite de quantos milhões seria o valor de um "desenhinho"? Os desenhistas mais bem pagos que eu conheço atuam na publicidade, ganhando bem de grandes agências sem nunca assinar um único desenho.

Voltando ao caso inicial, cobrei um valor que achei justo e o cliente, como muitos outros, desapareceu. Acho que imaginou que eu ia cobrar 50 reais só pra ver meu desenho sendo divulgado. Esse lance de "divulgar o desenho" é a maior balela. Empresas que contratam desenhistas para prestar serviço não ficam perguntando pras pessoas quem fez o desenho na sua camiseta pra pedir contato.

O pior é quando se mistura amizade. A frase "amigos, amigos, negócios à parte" raramente funciona. Certa vez, um amigo me chamou para fazer um trabalho de ilustrações pra uns folhetos. Na conversa, quando eu comecei a dar a entender que cobraria um preço bom levando em conta o porte da empresa para a qual ele trabalha, meu amigo me lembrou que estava me chamando mais para "dar uma força" pra mim. Como orgulho não paga conta, aceitei negociar numa boa depois de ouvir a frase. No final, até que não ficou um preço ruim, mas por pouco o clima não ficou chato.

Por outro lado, há um outro caso para exemplificar que nem tudo são espinhos. Um outro amigo me procurou para orçar um trabalho. Ele explicou que estava ajudando uma pessoa a estruturar um livro e que essa pessoa precisava que eu fizesse um certo número de ilustrações. Dei meu preço. Meu amigo negociou dizendo que tinha ouvido que a verba seria um pouco menor. Chegamos num acordo que achei interessante e só então ouvi a verdade: meu amigo disse que não havia uma terceira pessoa e que era ele mesmo quem precisava das ilustrações. Ele preferiu me fazer pensar que era para uma outra pessoa o trabalho para que a amizade não influenciasse e eu cobrasse o valor que achasse justo. Se antes eu já considerava esse amigo, o respeito aumentou ainda mais.

Saber cobrar e negociar bem é uma arte que só se aprende tomando muitos tombos. Eu ainda estou aprendendo.

*****

PREÇOS DE MERCADO

Apesar de nem sempre funcionarem, existem tabelas de preço envolvendo o trabalho de desenhistas.
Confira duas tabelas de preço:

ACB - Associação dos Cartunistas do Brasil

Sindicato dos Jornalistas de SP

ORIENTAÇÕES PROFISSIONAIS

SIB - Sociedade dos Ilustradores do Brasil

Guia do Ilustrador

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

OLHOS DE MANGÁ

Um amigo indicou um vídeo bem legal sobre desenho de mangá. É o Hundred ways to draw manga eyes, ou "100 maneiras de desenhar olhos de mangá", do desenhista Mark Crilley. São exemplos de técnicas, estilos e expressões baseadas em diferentes autores. Tem 10 minutos de duração e é bem interessante.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

RETOMANDO ATIVIDADES

Primeiro, Feliz Ano-Novo e obrigado pela visita a este blog. Depois das férias, estou retomando trabalhos e escrevendo novas postagens. Atualmente, estou envolvido com alguns projetos que vou divulgar à medida em que forem se concretizando. Pra começar, algumas notas rápidas:

*****

Em breve, haverá o lançamento do livro Faça seu coração falar, de autoria de Cláudio Ayabe e que foi ilustrado por mim. Haverá dois eventos de lançamento do livro em janeiro: no dia 15 em São Paulo e no dia 28 em Campinas, ambos em unidades da Saraiva Megastore. Depois eu posto aqui os convites respectivos.

Pra quem quiser conferir, o livro já está à venda no site do autor:

www.ayabe.com.br

*****
Em 24 e 25 deste mês, estarei em Recife (PE) como palestrante convidado no evento Animepan. Será uma maratona com 3 palestras e uma workshop de caricatura. Na semana do evento, divulgarei a programação aqui.

www.animepan.com


*****
A coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas de SP já está planejando o calendário de oficinas gratuitas de HQ que integram o projeto Fanzines nas Zonas de Sampa. Além de mim, a equipe conta com profissionais como Weberson Santiago, Sam Hart, Edu Mendes e Jozz. No ano passado, só tive tempo de lecionar uma oficina rápida em uma biblioteca, mas espero participar mais desta vez.

Para quem quiser acompanhar as novidades sobre as oficinas quando forem divulgadas, há o blog oficial do projeto:

www.hqzineszonas.blogspot.com