quinta-feira, 29 de maio de 2008

CENTENÁRIO DA IMIGRAÇÃO - O SHOW DE ABERTURA

Neste ano do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, muitas atividades têm sido realizadas como preparação para a grande festa em junho. Uma das mais interessantes foi o show de abertura das festividades oficiais, realizado no dia 16 de janeiro, no auditório do Ibirapuera (São Paulo, capital). Abaixo, vou republicar, para fins de registro histórico, o relato que escrevi na época, para a antiga versão deste blog.

Estive lá como convidado do Consulado Geral do Japão de São Paulo, o que foi uma honra. Havia muitos convidados ilustres, gente da música, da política, artes, imprensa e meio empresarial. Eu estava na terceira fileira, perto do palco, e assisti um show que nunca vai sair da minha memória. O repertório era eminentemente instrumental, talvez a melhor maneira de derrubar barreiras de idioma, usando a música como linguagem universal.

Primeiro, o trio feminino Rin´ apresentou sua fusão de instrumentos tradicionais com música eletrônica. Tocando okotô (similar à harpa), shamisen (similar ao banjo) e shakuhashi (flauta japonesa) e cantando de modo angelical, elas criaram uma atmosfera hipnótica, o que tornava ainda mais divertidas suas falas em português (lidas com um sotaque graciosamente irresistível) entre as músicas. No palco negro, iluminado de modo elegante, apenas algumas faixas brancas com escritos em kanji decoravam o fundo. Uma delas trazia a inscrição "Chikyu no koe" ("Voz da Terra"), uma definição perfeita para algumas músicas.

Depois delas entrou o genial Yamandu Costa e seu violão de sete cordas, ao lado de Hamilton de Holanda, uma lenda do bandolim. Uma apresentação impressionante, com uma entrega de corpo e alma ao que de melhor em termos de melodia, ritmo e harmonia a música brasileira tem a oferecer. E Yamandu arriscou seu japonês, tão "bom" quanto o português dos convidados, deixando o clima alegre e descontraído. Mas quando eles tocavam, a reverência ao som das cordas era quase religiosa de tão solene.

O show seguinte foi de Hiromitsu Agatsuma, jovem gênio do shamisen, tradicional instrumento japonês de 3 cordas. Fazendo o máximo com o mínimo, ele mostrou, tocando e cantando, porque é considerado um símbolo de renovação da música tradicional japonesa. Em algumas músicas, foi acompanhado pelo pianista Yoichi Nozaki. Entre o clássico e o jazz, Nozaki mostrou não ser apenas um músico de apoio, com vigorosos solos tocados com impacto e grandiosidade. Depois, Yamandu e Hamilton voltaram, fazendo uma outra performance memorável ao lado de Agatsuma e Nozaki.
Finalmente, para a apoteose do show, o trio Rin´ subiu novamente ao palco e, juntos, os sete interpretaram "Mais que nada", música de Jorge Benjor que ficou famosa mundialmente na interpretação de Sergio Mendes e já foi até regravada pela banda japonesa Pizzicato Five.

Encerrando, os músicos interpretaram a delicada "Furusato" ("Terra Natal"), que embalou de nostalgia muitos dos cerca de 800 presentes. Solos virtuosos, simplicidade e bom gosto marcaram uma apresentação que foi aplaudida de pé em vários momentos. Ao final da última música, a parede de fundo do palco foi elevada, revelando o bosque do Ibirapuera, todo iluminado. A platéia foi às lágrimas e a emoção contagiou a todos.Naquele palco, os sete artistas não fizeram apenas música. Criaram vida. (Fotos:
Fundação Japão)

Sites dos artistas:
- Rin´
- Yamandu Costa
- Hamilton de Holanda
- Hiromitsu Agatsuma

quarta-feira, 28 de maio de 2008

OFICINA DE MANGÁ EM SP

Em junho, aos sábados de manhã, irei ministrar uma oficina gratuita de mangá na Biblioteca Monteiro Lobato (região central de São Paulo, capital), que inaugurou neste ano uma seção de gibiteca. É a terceira vez que irei realizar uma oficina lá. A divulgação mal começou e já há mais reservas de inscrição do que o curso comporta. Ainda assim, como é comum que haja desistências, estou divulgando a quem interessar possa. O curso, composto de 4 aulas, irá apresentar algumas técnicas básicas para desenho e desenvolvimento de personagens, com ênfase no estilo mangá.

Oficina de Mangá
Idade: a partir de 12 anos
Número de alunos: até 20 inscritos
Dias: 7, 14, 21 e 28 de junho
Horário: 09h30 às 12h30
Local: Biblioteca Monteiro Lobato
Endereço: Rua General Jardim, 485 - Vila Buarque - São Paulo/ SP
Tel.: (11) 3256-4122
Página da biblioteca

terça-feira, 27 de maio de 2008

segunda-feira, 26 de maio de 2008

HQ MIX - SAIU A LISTA DE INDICADOS

Começou a campanha da nova edição do Troféu HQ Mix para os melhores da área de quadrinhos do ano passado. Primeiro, os organizadores listam tudo o que foi lançado no mercado editorial no ano anterior. Depois, uma comissão indica alguns nomes ou títulos representativos de cada categoria. Os eleitores (que devem ser artistas profissionais ou amadores ou ainda pesquisadores cadastrados) podem votar em quem quiser, mas sem dúvida a lista de indicações é um termômetro para quem tem maiores chances. O troféu deste ano será com a forma do personagem Samurai, de Cláudio Seto, e o evento de premiação vai homenagear os autores brasileiros de mangá e o Centenário da Imigração Japonesa no Brasil.

Pela primeira vez, estou concorrendo entre os indicados, com o Almanaque da Cultura Pop Japonesa. Pessoalmente, acredito que Desenhando Quadrinhos (que eu li, resenhei e acho sensacional) deva levar a melhor, por mais que os livros indicados tenham propostas bem diferentes. Mas só de ver meu trabalho (indicado como destaque de 2007 pelo site Nippo-Jovem) entre os selecionados já é uma honra. Veja a lista de indicados para a categoria Livro Teórico:

32) Livro Teórico
Almanaque da Cultura Pop Japonesa de Alexandre Nagado (Via Lettera)
Desenhando Quadrinhos de Scott McCloud (M. Books)
Iconográficos - Teorias, Colecionismo e Quadrinhos de Agnelo Fedel (LCTE)
JAPOP - O Poder da Cultura Pop Japonesa de Cristiane A. Sato (NSP Hakkosha)
Love Hina Infinity (JBC)
Mulher ao Quadrado - As Representações Femininas nos Quadrinhos Norte-americanos de Selma Oliveira (UNB/Finatec)
O Riso que nos Liberta de Wellington Srbek (Marca da Fantasia)

quinta-feira, 22 de maio de 2008

INTERCÂMBIO NO JAPÃO - PARTE 5

O quinto dia de minha viagem ao Japão foi o mais intenso. Depois de passeios com um toque de aventura, chegamos a Hiroshima, um encontro que nos marcou pra sempre.

quarta-feira, 21 de maio de 2008

SPEED RACER - A SÉRIE CLÁSSICA

Uma das séries em animê mais divertidas de todos os tempos (e uma das minhas favoritas) foi Speed Racer. Com a repercussão do filme live-action feito pelos criadores de Matrix, o Omelete publicou uma matéria na seção "Lembra desse?" dedicada ao famoso piloto. O texto, de minha autoria, pode ser acessado aqui.

VIDEOCONFERÊNCIA - MANGÁ E HAICAI

No último dia 6 de maio, participei de uma videoconferência para professores da rede estadual de ensino. Parte do projeto Viva Japão (ligado às comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil) e apoiado pela Rede do Saber, foi uma experiência interessante, no qual falei sobre mangá e pude responder a perguntas de pessoas em diferentes pontos do estado, ligados por um sistema de circuito interno de vídeo. No mesmo dia, a escritora Teruko Oda falou sobre os poemas haicai. Felizmente, correu tudo nos conformes, mas eu não estava 100% bem, com uma tosse irritante (o que deixou minha voz péssima), que até que ficou sob controle.

O trabalho valorizou não só a cultura, mas as pessoas que trabalham com ela, pois várias reuniões de planejamento foram realizadas e o projeto destinou uma verba justa para remunerar os profissionais que se dispuseram a dividir seus conhecimentos com o público selecionado. Fica aqui meu agradecimento ao escritor Silvio Sano, pela indicação, apoio e suporte, e a todo o pessoal da Rede do Saber e da secretaria de educação que colaborou para que o trabalho fosse realizado.
Agora, a videoconferência foi disponibilizada no arquivo da Rede do Saber e pode ser assistido no link abaixo:

terça-feira, 20 de maio de 2008

INTERCÂMBIO NO JAPÃO - PARTE 4

7 de março de 2008

DESPEDIDA DO RYOKAN

Depois do café da manhã, arrumamos nossas malas e fomos embora do Ryokan Homeikan Hotel, nossa primeira e mais marcante base no Japão. Alguns funcionários foram nos acompanhar até o ônibus e ficaram acenando até sumirmos de vista. A simpatia e boa-vontade deles realmente nos tocou, até porque a maioria já era de certa idade. E que pique eles tinham! Foi uma acolhida, estadia e despedida bastante calorosas. E assim, pegamos estrada para mais uma maratona de atividades.

VISITA EM OIZUMI

sábado, 17 de maio de 2008

PAPO COM MACHADO - A ENTREVISTA

Há cerca de um ano, fui entrevistado pelo dublador Nelson Machado (o Quico do Chaves) em seu programa de TV virtual Papo com Machado. O programa foi transmitido ao vivo e teve duas partes, onde conversamos sobre vários assuntos ligados ao meu trabalho. Na época, o meu Almanaque da Cultura Pop Japonesa ainda não tinha sido publicado. Agora, toda a entrevista está disponível para quem quiser assistir através do videolog do Nelson. Confira:

-
Papo com Machado - parte 1
-
Papo com Machado - parte 2

INTERCÂMBIO NO JAPÃO - PARTE 3

Chegando no Panasonic Center,
onde nasce o futuro.

quinta-feira, 15 de maio de 2008

INTERCÂMBIO NO JAPÃO - PARTE 2

5 de março de 2008

COMPROMISSO OFICIAL NO MINISTÉRIO DE ASSUNTOS ESTRANGEIROS

A maioria dos compromissos era vista como atividade oficial,
então andávamos como executivos.

segunda-feira, 12 de maio de 2008

INTERCÂMBIO NO JAPÃO - PRÓLOGO

Há exatamente dois meses atrás, terminei a maior aventura da minha vida: uma intensa passagem pelo Japão, país que sempre esteve ligado ao meu trabalho e que eu ainda não conhecia.

Como parte das comemorações do Centenário da Imigração Japonesa no Brasil, este é o Ano do Intercâmbio Brasil-Japão e várias atividades relacionadas estão sendo realizadas. Uma delas foi planejada com ênfase no animê e na cultura pop. No Programa de Intercâmbio aos Jovens Líderes entre Japão-Brasil, 25 pessoas foram selecionadas por escritórios estaduais do Consulado Japonês, entre profissionais e estudantes, para uma viagem de uma semana em Tóquio, com todas as despesas pagas. Foram selecionadas pessoas de todo o país, mas somente 5 daqui de São Paulo. O processo seletivo foi meio demorado.

Primeiro, pessoas ligadas à cultura japonesa foram solicitadas a indicar nomes de pessoas que poderiam se interessar pelo programa. Fui indicado pela professora Sonia Luyten, uma profissional que muito admiro e com quem tenho a honra de ter amizade pessoal há anos. Esses indicados tiveram que preencher um formulário e escrever uma carta de apresentação em inglês. Depois, os pré-selecionados foram convidados para uma entrevista pessoal no consulado japonês. Finalmente, em 27 de dezembro passado, os escolhidos foram contactados. Tivemos algumas reuniões de orientação e finalmente, embarcamos no dia 3 de março, retornando no dia 12 de março. 

A viagem foi curta (uma semana) e teve uma programação intensa, tanto de cultura pop quanto tradicional. Conheci as cidades de Tokyo, Oizumi, Hiroshima e Kyoto. Vi coisas maravilhosas e interessantes, fui muito bem tratado, fiz diversas novas amizades e vivi situações incríveis. Dos terríveis relatos de uma sobrevivente do bombardeio atômico em Hiroshima a uma divertida palestra com um ex-assistente e amigo pessoal dos diretores Akira Kurosawa e Hayao Miyazaki, a estadia no Japão foi marcada por muita emoção e uma imersão na cultura e modo de vida do povo japonês. Fiquei em diferentes hotéis, desde uma pacata hospedagem tradicional, passando por um prático hotel-cápsula até hotéis luxuosos de padrão internacional.


Conhecemos o Museu Internacional do Mangá (em Kyoto), o estúdio Production IG (em Tokyo), o impressionante Museu Memorial da Paz (em Hiroshima), além de templos, parques e locais históricos. Também tivemos palestras e participamos de workshops, tudo arranjado pelo MOFA - Ministry of Foreign Affairs - Ministério de Assuntos Estrangeiros do Japão, o equivalente deles ao Ministério de Relações Exteriores do Brasil. Como foi uma visita oficial, houve uma agenda protocolar a cumprir, além dos eventos diretamente ligados ao tema. Irei publicar o relato dia-a-dia desse intercâmbio, como forma de deixar registrado o que vi, aprendi e vivenciei nessa atividade.
(continua)

sexta-feira, 9 de maio de 2008

BRASIL JAPÃO - 100 ANOS DE PAIXÃO


A editora M.Books lançou o livro BRASIL JAPÃO - 100 Anos de Paixão, uma obra repleta de depoimentos sobre a imigração japonesa, além de belas e numerosas fotos. Organizado por Milton Mira Assumpção Filho e Ernesto Yoshida, o livro reuniu pequenos textos de gente ligada à colônia japonesa, descendentes e também de personalidades famosas e anônimas.

Tive a honra de ter fornecido também um texto, em meio a gente importante como Zico, Fernanda Takai, Ana Maria Braga, José Serra, Içami Tiba e outros, totalizando 200 depoimentos. E também fui convidado para produzir uma ilustração exclusiva sobre o navio Kasato Maru, embarcação que trouxe os primeiros imigrantes japoneses ao Brasil, em 1908. O trabalho já está sendo distribuído nas livrarias.

Confira maiores detalhes sobre o livro aqui.